Os investidores mais atentos costumam verificar todas as linhas e valores que aparecem nas suas notas de corretagem (e os mais desconfiados também). Um ponto que gera muitas dúvidas nessa investigação é o cálculo do repasse do ISS/PIS/COFINS. Por isso, vamos explicar.

O que é o repasse dos impostos?

Em alguns mercados, é comum que o prestador de serviços informe o seu preço "líquido de impostos". Nesse caso, o valor divulgado é o valor que o prestador quer ganhar, depois que forem debitados todos os impostos.

A maioria das corretoras de valores funciona desse jeito. Quando elas falam que a taxa de corretagem é de R$ 10, isso significa (em muitos casos) que o cliente paga R$ 10 mais os impostos

Porém, na hora de cobrar o imposto, o governo vai ver o valor total da cobrança e vai aplicar a alíquota (%) sobre esse novo valor total, resultando num imposto um pouco mais alto do que o original. 

O cálculo conhecido como "gross-up" é o método correto de descobrir qual deve ser o novo valor total dos serviços para que, depois de aplicados os impostos, sobre exatamente o valor original pretendido e anunciado.

Vamos ver exemplos com números, porque fica mais fácil. 

Segura, porque lá vem Matemática!

Exemplo de cálculo de gross-up ERRADO:

Antes de ver a conta certa, vale a pena ver um exemplo errado, para entender de onde vem o erro.

Vamos pegar as seguintes premissas e fazer a conta:
Taxa de corretagem = R$ 10,00
Impostos = 9,65%

Aplicando a alíquota sobre o valor, temos o valor do imposto:
9,65% de R$ 10,00 = R$ 0,96
(no cálculo do imposto, o arredondamento é para baixo)

Se somarmos valor original + impostos, teremos o valor total cobrado:
R$ 10,00 + R$ 0,96 = R$ 10,96

Na hora de emitir a nota, o imposto é aplicado sobre esse novo valor, e teremos:
9,65% de R$ 10,96 = R$ 1,05

Ou seja, nós acrescentamos R$ 0,96 ao preço original, mas isso fez com que o imposto fosse aumentado para R$ 1,05. 

O valor líquido que sobra é:
R$ 10,96 - R$ 1,05 = R$ 9,91
(menos do que o pretendido)

Exemplo de cálculo de gross-up CERTO:

Vamos usar as mesmas premissas e fazer a conta:
Taxa de corretagem = R$ 10,00
Impostos = 9,65%

A fórmula do gross-up é usada para encontrar o novo valor total a ser cobrado:
R$ 10,00 / (1 - 9,65%) = R$ 11,06

Na hora de emitir a nota, o imposto é aplicado sobre esse novo valor, e teremos:
9,65% de R$ 11,06 = R$ 1,06

Opa! Agora sim! O valor líquido que sobra é:
R$ 11,06 - R$ 1,06 = R$ 10,00
(exatamente o pretendido)

Como isso aparece na sua nota de corretagem?

Esse valor aparece nas notas de corretagem, abaixo da taxa de corretagem (Clearing). 

Veja esse exemplo, onde a taxa de corretagem (no ano de 2018) era R$ 16,20.

Vamos conferir o cálculo.

Novo valor bruto total:
R$ 16,20 / (1 - 9,65%) = R$ 17,93

Isso significa que o valor do imposto é:
R$ 17,93 - R$ 16,20 = R$ 1,73.

Sucesso! 

Há algum tempo, a taxa de corretagem foi reduzida de R$ 16,20 para R$ 10,00. Os valores de repasse de impostos corretos em cada caso são:

Taxa de R$ 16,20 => Imposto de R$ 1,73 => Total de R$ 17,93
Taxa de R$ 10,00 => Imposto de R$ 1,06 => Total de R$ 11,06

Erros nos cálculos?

Algumas vezes (e não todas), a Rico calcula o imposto da forma incorreta, aplicando simplesmente a alíquota sobre o valor original. Nesses casos, o imposto é repassado ao cliente com os seguintes valores:

Taxa de R$ 16,20 => Imposto de R$ 1,56 => Total de R$ 17,76
Taxa de R$ 10,00 => Imposto de R$ 0,96 => Total de R$ 10,96

Nesses casos, você paga um repasse de imposto levemente inferior ao valor que seria correto e a corretora recebe um pouco menos do que tinha anunciado como preço. 

-----

Essa resposta foi útil? Resolveu sua dúvida? Se sim, por favor, avalie positivamente abaixo. Se não, deixe sua avaliação negativa para que a gente venha melhorar esse texto. Obrigado!

Encontrou sua resposta?