A taxa de gestão máxima (0,95% ao ano) é calculada da mesma forma como acontece em qualquer fundo de investimento.

O cálculo é relativamente simples, mas bastante trabalhoso porque a conta é feita por dia útil. Ou seja, é necessário pegar o valor da sua posição dia a dia, para cada dia útil do mês; fazer um cálculo em cima desse valor a cada dia e somar tudo no final. 

Ainda bem que o Ueslei nos ajuda nessa parte.

Exemplo

Vamos usar um exemplo de taxa de 1% ao ano, para facilitar a conta. Vou precisar usar um pouco de financês para resumir, mas o cálculo seria feito aplicando-se 1% ao ano, calculado pro rata die, na base 252. Quebrando o financês para simplificar:

  • 1% ao ano seria o percentual da taxa aplicado
  • pro rata die significa que é feito o cálculo exponencial para encontrar a taxa proporcional de um dia
  • base 252 significa que o cálculo é feito por dias úteis (se fosse por dias corridos, seria base 365)

A taxa proporcional de 1 dia é aplicada sobre o saldo do dia para achar o valor da taxa de gestão máxima naquele dia.

Então, por exemplo, se você tiver R$ 60.000,00 com uma taxa de 1% ao ano, o custo do primeiro dia seria:

= R$ 60.000 x (( 1 + 1% )^( 1 / 252 ) - 1 ) =
= R$ 60.000 x ( 1,01 )^( 1 / 252 ) - 1 ) =
= R$ 60.000 x ( 1,00003948621945 - 1 ) =
= R$ 60.000 x 0,00003948621945 =
= R$ 2,3692

Conforme os investimentos rendem no dia seguinte, o saldo muda. Então no dia seguinte o mesmo multiplicador seria aplicado sobre outro saldo (não mais sobre R$ 60 mil). Mas, para simplificar, vamos supor que o valor dos investimentos não muda e fica "parado" em R$ 60 mil o mês inteiro. Em um mês de 21 dias úteis, o valor total seria: 21 x R$ 2,3692 = R$ 49,75.

Como precisamos esperar o mês fechar para ter o valor do último dia, a taxa de gestão de um mês só é cobrada e descontada da conta no mês seguinte.

Ah! E como o percentual de 0,95% inclui todos os custos, a gente precisa ainda subtrair desse total os demais custos, que já tenham sido cobrados ou que ainda serão cobrados pela corretora e/ou pela B3.

Curiosidade

Nos feriados, além de não trabalhar, você não paga pelos serviços da Vérios. Bom, né? É por isso que, mesmo que você não faça aportes nem resgates, o custo pode ficar diferente entre os meses, aumentando e diminuindo de um mês para o outro: por causa do número de dias úteis. 

Meses com menos dias úteis ficam "mais baratos" que os meses com mais dias úteis. 


Essa conta é um pouco confusa. Espero que tenha ficado clara. Deu pra entender? Se sim, avalie bem aqui embaixo. Se não, deixe sua avaliação negativa para que a gente venha melhorar esse texto. Obrigado!

Encontrou sua resposta?