Quando a condição de residente é mantida, o processo de investir funciona normalmente, igual para quem mora no Brasil. É possível manter conta em banco, em corretora e também em gestoras de investimentos, como a Vérios (sim, o Ueslei tem amigos espalhados em vários cantos do mundo!). A administração e acompanhamento dessas contas podem ser feitas normalmente pela internet, em qualquer país com acesso à rede.

Já os brasileiros não-residentes -- aqueles que entregaram a Declaração de Saída Definitiva do País ou permaneceram no exterior por mais de 12 meses consecutivos -- têm um tratamento diferenciado pela Receita Federal e pelo mercado financeiro, sendo impostas a eles condições semelhantes a um estrangeiro que queira fazer investimentos no Brasil, dentre elas:

  • Em vez de uma conta bancária comum no Brasil, os brasileiros não-residentes precisam abrir uma Conta de Domiciliado no Exterior, regulamentada pelo Banco Central do Brasil.
  • Brasileiros não-residentes não precisam entregar a Declaração Anual do Imposto de Renda (DIRPF).
  • A tributação de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e Imposto de Renda (IR) é diferenciada.

Fizemos esse artigo contando um pouco mais sobre manter o investimento no Brasil, mesmo morando fora: https://verios.com.br/blog/morar-no-exterior-e-ter-investimentos-no-brasil-e-possivel/

Encontrou sua resposta?