Não, porque não precisa. O Fundo Garantidor de Créditos (FGC) é um instrumento de proteção contra o risco do crédito, e procura proteger o investidor contra o risco de calote no crédito privado. Porém nenhum dos ativos das carteiras da Vérios possui esse tipo de risco, fazendo com que a carteira não precise de FGC.

Os títulos do Tesouro Direto são considerados os ativos mais seguros do país, justamente por não ter risco de crédito. E os investimentos em ações estão sujeitos à oscilação normal de preços de mercado, mas ao investir em um índice e não em empresas específicas, reduzimos o risco que existiria em caso de exposição a um pequeno grupo de empresas.

Encontrou sua resposta?