A nossa metodologia de diversificação considera que é mais importante diversificar nos mercados ou classes de ativos, do que em ações individuais. Como um ETF pode representar um índice genérico (50 maiores empresas do Brasil, por exemplo) ele se torna um veículo interessante para representar as classes de renda variável na carteira inteligente.

É esse tipo de diversificação que consideramos importante: a diversificação entre riscos e mercados diferentes. Praticar a "futurologia" tentando descobrir qual será a melhor empresa dos próximos meses pode levar você a incorrer em custos altos (pagando uma taxa corretagem para cada empresa comprada ou vendida) e algumas roubadas (por estar altamente concentrado em poucos papéis).

Algumas pessoas argumentam que o ETF faz com que você inclua, também, algumas "ações ruins" na carteira, já que alguns profissionais consideram que Petrobras, por exemplo, é ruim devido à interferência do Governo. Ela entra na carteira porque é uma das maiores empresas do Brasil.

Assim, essas empresas realmente acabam entrando na carteira inteligente, mas com uma vantagem: existe uma seleção natural, decorrente do reajuste automático do ETF: as empresas ruins vão perdendo valor de mercado e, assim, perdendo espaço no ETF e na sua carteira, sem você precisar ter custos para vender ou comprar as ações. O ETF que usamos para representar a bolsa brasileira é de IBrX-50, e inclui apenas as 50 maiores empresas da bolsa brasileira; enquanto o ETF que usamos para representar a bolsa americana é de S&P500, e inclui as 500 maiores empresas da Nasdaq e Nyse.

Para aprofundar nesse tema, nós republicamos (com autorização) um texto do Economista Pedro Lula Mota, editor do Terraço Econômico, que vale a leitura: https://verios.com.br/blog/etfs-o-futuro-do-mercado-financeiro/

Há também um bom texto do jornalista Danylo Martins, que escreve para o Valor Econômico, que discute se vale a pena investir em ETFs; e um texto nosso com uma visão geral do que são e como funcionam os ETFs.

Para aprofundar sobre a sensação de diversificar, dê uma olhada neste irônico artigo do consultor financeiro Carl Richards (é uma delícia de ler): Esqueça a diversificação. Aplique apenas no melhor investimento

Também falamos sobre esse tema no nosso canal no YouTube, veja abaixo:

Encontrou sua resposta?